25 C
Cuiabá
sexta-feira, junho 25, 2021

Atuais vereadores priorizam contratação de cabos eleitorais em Cuiabá

Dos vereadores que buscam a reeleição o presidente da Câmara Municipal, Misael Galvão (PTB), foi o que mais gastou com contratação de pessoal. Até o momento foram R$ 45,9 mil usados em atividades de militância e mobilização de rua.

O petebista contratou ao todo R$ 69,1 mil em despesas e é o segundo entre os concorrentes, ficando atrás somente de Marcos Veloso (PV) que gastou R$ 98,5 mil. Misael também

desembolsou R$ 11 mil com locação de veículos, R$ 7 mil com impulsionamento de conteúdos nas redes sociais e R$ 3,8 mil com material impresso.

Veloso, porém, tem como suas maiores despesas, publicidade com materiais impressos no qual gastou R$ 31,6 mil, locação de veículos no valor de R$ 12,5 mil e serviços advocatícios no valor de R$ 15, mil. O levantamento foi feito até este sábado (24).

Líder da oposição na Câmara, Diego Guimarães (Cidadania), está em terceiro no quesito dívidas contratadas. Com um total de R$ 58 mil, tem como maior gasto a confecção de materiais impressos no qual gastou R$ 16,9 mil. Com a realização de eventos para promoção da candidatura o candidato gastou R$ 10,8 mil e R$ 9,2 mil com a confecção de adesivos.

Renivaldo Nascimento (PSDB) também fez muitas contratações até o momento. Com um total de R$ 57,7, mil o tucano gastou boa parte do dinheiro com serviços prestados por  terceiros, na ordem de R$ 25 mil, com confecção de adesivos foram R$ 14,1 mil, R$ 10 mil para advocatícios e R$ 5 mil com serviços contábeis.

Luis Claudio (Progressistas), líder do prefeito na Câmara, gastou R$ 42,7 mil. Deste montante, R$ 35 mil foram utilizados para a confecção de materiais impressos e R$ 7,5 mil para confecção de adesivos.

O vereador Toninho de Souza (PSDB) assim como o presidente da Câmara também investiu boa parte com militância e mobilização de rua, com a contratação de pessoal na ordem de R$ 12 mil. Com combustíveis, declarou o gasto de R$ 10 mil e publicidade com materiais impressos R$ 9,1 mil.

Ao todo, informou despesas contratadas de R$ 33,6 mil. Chico 2000 (PL), que declarou R$ 31,3 mil, também tem no seu ranking de atividades de militância e mobilização de rua em primeiro lugar, tendo gasto R$ 8,6 mil até o momento.

O vereador ainda utilizou R$ 8 mil com serviços contábeis, R$ 5 mil com locação de imóveis, R$ 3 mil com serviços advocatícios e também outros gastos para confecção de material de campanha. O vereador Justino Malheiros (PV) declarou R$ 24,3 mil e tem como maior gasto a confecção de materiais impressos no valor de R$ 20,6 mil.

Ele contratou serviços prestados por terceiros por R$ 2,6 mil e realizou eventos de promoção da candidatura por R$ 431,17. Além disso, investiu R$ 300 com impulsionamento de conteúdos nas redes sociais.

Assim como ele, Vinicyus Hugueney (Solidariedade) que informou ter contratado R$ 23 mil, usou R$ 21 mil com material de campanha na confecção de adesivos. O vereador também locou imóveis no valor de R$ 1,5 mil e pagou R$ 500 para a produção de jingles, vinhetas e slogans.

Lilo Pinheiro (PDT) já contratou despesas na ordem de R$ 19 mil. Deste montante, R$ 11,7 mil foi gasto com materiais impressos, R$ 6,3 mil em serviços prestados por terceiros e

R$ 1 mil para a produção de jingles, vinhetas e slogans.

O vereador Sargento Joelson (Solidariedade) contratou R$ 18,4 mil e gastou o total em confecção de adesivos. O vereador Mário Nadaf (PV) é o que mais recebeu recursos até o momento para a sua campanha, chegando aos R$ 122 mil, mas declarou ter contratado apenas R$ 14,9 mil.

Para a confecção de adesivos ele usou R$ 10,8 e R$ 2 mil com material impresso. Ele ainda investiu R$ 1 mil com impulsionamento de conteúdos para as redes sociais e R$ 796 com serviços prestados por terceiros.

Dilemário Alencar (Podemos) declarou ter contratado até o momento R$ 14,4 mil. Deste montante R$ 5 mil foram destinados para combustíveis e lubrificantes, R$ 4,8 mil para confecção de materiais impressos, R$ 3 mil para confecção de adesivos e R$ 1,5 mil na produção de jingles, vinhetas e slogans.

Já Orivaldo da Farmácia (Progressistas) que declarou despesas de R$ 13,8 mil gastou R$ 6,5 mil na confecção de materiais impressos, R$ 5 mil com serviços contábeis e R$ 2 mil com combustível. Clebinho Borges (PSD) declarou despesas de R$ 12,3 mil sendo que gastou R$ 7,9 na confecção de adesivos, R$ 2,5 mil com serviços contábeis, R$ 700 foram utilizados para impulsionamento de conteúdo nas redes sociais, R$ 700 para locação de imóvel e R$ 550 para confecção de material impresso.

O vereador Adevair Cabral (PTB) que segundo sua declaração parcial gastou R$ 7 mil só confeccionou adesivos. Assim como Dr. Xavier (PTC) que contratou despesas de R$ 5,7 mil e tudo foi investido em confecção de materiais impressos.

Juca do Guaraná Filho (MDB), Marcrean Santos (Progressistas), Ricardo Saad (PSDB) e Wilson Kero Kero (Podemos) não declararam a contratação de nenhuma despesa até o momento. Na capital, o limite de gasto por candidato a vereador é de R$ 560.511,19.

Marcos Veloso …………………………. R$ 98.579,87

Misael Galvão …………………………… R$ 69.142,05

Diego Guimarães ……………………… R$ 58.092,76

Renivaldo Nascimento ……………… R$ 57.722,78

Luis Claudio ……………………………… R$ 42.738,30

Toninho de Souza …………………….. R$ 33.623,50

Chico 2000 ………………………………. R$ 31.304,58

Justino Malheiros …………………….. R$ 24.376,32

Vinicyus Hugueney …………………… R$ 23.000,00

Lilo Pinheiro …………………………….. R$ 19.015,00

Sargento Joelson ……………………… R$ 18.448,79

Mario Nadaf ……………………………… R$ 14.903,44

Dilemário Alencar …………………….. R$ 14.432,00

Orivaldo da Farmácia ……………….. R$ 13.876,00

Clebinho Borges ……………………….. R$ 12.380,00

Adevair Cabral ………………………….. R$ 7.010,45

Dr. Xavier …………………………………. R$ 5.700,00

Ricardo Saad …………………………………………….. 0

Wilson Kero Kero ……………………………………….. 0

Marcrean Santos ………………………………………. 0

Juca do Guaraná Filho ………………………………. 0

Adilson Levante …………………………………………. 0

 

Fonte: Folhamax

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

PUBLICIDADE

NOTÍCIAS

Leia mais notícias